Páginas

29 de mai de 2009

Antes só do que mal comida

Minha mãe recebeu esse texto por e-mail e quando vi não resisti e coloquei aqui no blog pra mulherada. Huhuhauauhaua.

Quanto maior o desespero, mais rápido os homens que circulam por nossa vida sobem de categoria.
Aquele que era "Nem que a vaca tussa, espirre e arrote eu pego", vira: "Hum, quem sabe bêbada eu pego".
O tempo passa, a escassez continua e rapidamente ele é promovido a "E não é que dá pra pegar?"...

A carência só aumenta. Vibradores não te satisfazem mais. Você está a beira de comprar ingresso pro show do Wando. Pega sua agenda, faz as contas e: Caralho, puta que pariu, amanhã faz 6 meses que eu não dô! E de "Pegável", instantaneamente o cara ganha um Upgrade: passa para "Dável".
Sim meus amigos, está é a situação que eu me encontrava no final do ano passado. Com a diferença de que eu abomino Wando e também nunca apelei pra vibrador.Tenho mó medo dessa porra dar choque, imagina, morrer eletrocutada com a tchuna queimada. Whatever.

Nessa fase de tesão encubado, apenas um "peguetezinho" circulava pela minha vida, o Bernardo. Ele era um tanto quanto sério, falava pouco, ria pouco. Se houvesse um percentual de tesão, acho que o meu por ele seria 0,001 %. Mas depois de 6 meses, cara, até o Tiririca despertaria um ligeiro fogo em mim.

Meus pais foram comemorar mil anos de casados em Fernando de Noronha.Deviam tá fudendo até não poder mais. Meu irmão, aquele puto, foi prum congresso em Floripa, me ligou radiante dizendo que já tinha comido 7. Até meu cachorro tava dando umas carcadas na cadelinha da velhota do 6º andar.
Minha família inteira fazendo sexo e eu a ver navios?
Fala sério!!!!

Apelei pro Bernardo.

- Bê...tô sozinha aqui a semana toda. Num quer vir aqui tomar um vinho, ver um filme?

Acho que ele também devia estar no desespero. Em 15 minutos o cara tava lá em casa. E olha que há uma distância considerável entre nossos bairros.Mal o cara pisou aqui em casa meu cachorro grudou na perna dele e começou aquele movimento de meteção, sabe qual é? - Porra, tá virando viado?

- Sai daí, Marley! Deixa o Bernardo em paz!
A primeira coisa sexual da noite já tinha acontecido, e não foi comigo.
Seria isso um sinal? Enfim, liguei o foda-me, e a parada começou.
Beijinhos, mãos ainda tímidas, um ritmo normal até.Ao me ver sem roupa, ele solta um:

- Aaaaaah nossa, que tesão.

Tranquilo né. Auto-estima até sobe um pouquinho.
Imagina se ele me vê sem roupa e diz "Se cobre", ou então "Desliga o abajur"? Só que a partir daí, o cara simplesmente NÃO PARAVA de falar! Qualquer movimento, ou qualquer parte do meu corpo que ele visse era motivo pra gemer e falar.

- Aaaaah que boquinha. Nossa que peitos!
Aaaaaaah que bucetinha!

Depois do "Aaaaaaah que bucetinha", eu senti uma tendência brega no ar.
Além do q, a gemeção dele tava um pouco exagerada.
Ainda não estávamos fazendo sacanagem há tanto tempo assim pra ele ficar emitindo esses grunidos de forma tão intensa.
- Esfrega essa bundinha em mim, vai, esfrega!
- Ahn?????????

- Só um poquinho, esfrega, vai! (E fazia cara de tesão,fazendo biquinho e fechando os olhinhos)

Caralho, como assim, maluco?! Esfregar a bundinha? Tá achando que minha bunda é Assolan pra ficar esfregando aí?!?

-Não, não quero.

Depois dessa, o pouco tesão que eu sentia por ele quase se extinguiu.

E ele não calava a porra da boca! Tudo ele falava, comentava. Me senti na cama com o Galvão Bueno.
Sexo mudo é foda, mas cara, helloooooow! Há um intervalo,um espaço mínimo, uma divisão equilibrada
entre, falar, respirar, e fazer. Onde estava aquele rapaz calado e sério? Agora tudo que eu via era uma matraca brega querendo meter em mim. Comecei a beijá-lo freneticamente pra que não houvesse a mínima possibilidade dele pronunciar uma palavra sequer.
Eu parecia um desentupidor de pia, brother. E com certeza ele achou que eu devia estar excitadíssima né. Quando comecei a brincar com o objeto da criança, ele me fala:

- E aí gostou da surpresa?

- Como assim surpresa, ele vem dentro do Kinder Ovo?
- Não, gostosa. Lembra que eu te falei qua calçava 45?

PARA PARA TUDO AAAAAAAARGHHHHHHHHH!!!!!!!!!!!!!!
Como assim, pára tudo!!!!!!!!

Na moral, onde esse homem aprendeu a trepar? Ele é filho do Reginaldo Rossi e eu não sabia?
- Vem cá, você quer que eu vire pro lado e durma AGORA? Ou prefere que eu mande o Marley arrancar teu pau?

- Calma, tesudinha (tesudinha??????). Foi brincadeira.
- Brincadeira é o caralho. Brincadeira brega. Muito brega. Cortou totalmente o clima. E tesudinha é a puta que tu come na Vila Mimosa!

Broxei totalmente. Virei pro lado, fechei os olhos, esperando ele se mancar e ir embora. Daí ele me puxou e começou com o carinho lingual na minha companheira.
Até que isso ele fazia direitinho. Nada de excepcional,mas dentro dos padrões. Confesso, isso me reacendeu.
E cara... 6 MESES! Pensei "Tá, já que tô aqui, vamo acabar logo com essa merda." E o sexo propriamente dito começou.

Ele urrava, parecia um rinoceronte. Bicho, eu tava vendo a hora que a polícia ia bater aqui achando que eu tava matando alguém a facadas, pedradas ou coisa do gênero. A parada acaba. Tá beleza. Deu uma aliviada né. E eu pensando "Agora se veste e vai embora".
Doce ilusão...

- Vem pra cá. Me abraça. Me dá um beijo. Faz carinho. Foi bom pra você? Tem coca cola? Em quanto tempo você quer dar mais uma? Bota uma música?

Caralho caralho, caralho mais uma vez, caralho ao cubo!!!!! Porra, parecia aquelas velhas que sentam do teu lado no ônibus e contam toda a história da família, desde a época da colonização, e você só responde "sim", "aham", "é". Aliás, eu sou ímã de velhas de ônibus. Uma vez saltei 3 pontos antes só pra me livrar de uma tal de Dona Jacinta.

Comecei a mandar indiretas sutis:
- Caramba, eu tenho dentista 08:30 da manhã. Já são mais de 4. Putz, preciso dormir.

E nada dele se tocar! Ficava vendo meus livros, minhas fotos, me dava um beijo. Eu já tava totalmente vestida, e ele só de cueca. Bem, vou ter que ser mais direta.

- Olha só, melhor você ir se vestindo, eu já tenho que ir dormir.
- Peraí deixa eu brincar um pouquinho com o Marley.

Começou a correr pela minha casa com o cachorro.
Brother, que cena tosca.
Eu tava quase pegando a vassoura e colocando atrás da porta. Quando eu volto pro quarto, vejo ele com o meu diário na mão, abrindo, e ia ler! Que ousadia! (Ok, me chamem de criança, eu tenho diário sim, tá?) Botei meu chinelo, apaguei todas as luzes da casa, fui pra
cozinha, e fiquei ao lado da porta de braços cruzados com a chave na mão. Porra ele não iaaaaaaaaa, não ia embora, ficou 3 eras glaciais me abraçando. Tava quase empurrando e fechando a porta na cara dele. Finalmente ele se foi. Fiquei até mais leve.

Ufa! Que pesadelo!

Me ligou no dia seguinte de manhã, 10 da matina. Vai tomar no cú, me acorda ainda, viado! Não atendi. E assim foi por duas semanas. 14 dias de bina.
Tive momentos de seca depois, mas JAMAAAAIS pensei em fazer isso de novo.
Prefiro passar o resto dos meus dias na companhia de meus dedos do que apelar prum troço desses.

Autora desconhecida

4 comentários:

  1. Putz carioca é foda

    ResponderExcluir
  2. tem que ser playboizinho porque não pego um homem...............

    ResponderExcluir
  3. puta velha, mal amada...

    ResponderExcluir

Veja também

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...