Páginas

20 de dez de 2009

Sexo em lugares públicos - Parte 02


Tem quem ache que sexo em lugares públicos é a melhor coisa do mundo. Tem quem ache, também, que mesmo quando não é em lugares públicos, sexo ainda é a melhor coisa do mundo.

Em geral, quando uma notícia ganha atenção pública desse jeito, a coisa mais natural de se acontecer é juntar aquela rodinha de pessoas pra comentar e relembrar coisas parecidas que aconteceram no passado.

Foi basicamente isso que a mídia, relembrando alguns dos sexibicionistas mais famosos da nossa história recente. Nada de famosos como Hugh Grant e Divine Brown – só gente normal. Ou não.

Veja só.

Sexo dentro de um carro de polícia

Por mais que fazer sexo em público seja arriscado, sempre há quem queira levar a coisa para um nível superior. Um casal holandês, por exemplo, achou que transar dentro de um carro era muito papai e mamãe – e correu para dentro de um carro de polícia! Se só isso já não bastasse para configurar um problema, havia dois policiais no banco da frente do carro. O que aconteceu em seguida só deve ser plausível na Holanda. Os policiais desceram do carro e, gentilmente, disseram ao casal que, se fosse para transar, que procurassem outro lugar porque, embora a lei não proíba que casais usem carros de polícia como quarto de motel, pode ser que eles tenham que atender a alguma chamada e a lei diz que policiais devem estar prontos para entrar em ação.

Sexo nas alturas

Em 1919, foi registrado o primeiro caso de sexo dentro de uma aeronave. O rande problema foi que, enquanto a temperatura subia, o avião caía e o casal acabou se esborrachando no chão. O Código Nacional de Segurança nos Transportes da Inglaterra, machista, botou a culpa na mulher, ao relatar que ela “tomou uma decisão imprópria que distraiu sua atenção de outras atividades não relacionadas com a condução do vôo”.

Sexo dentro do banco

Um casal de franceses se pegou bonito quando percebeu que eles estavam sozinhos dentro de um banco. A brincadeira virou pesadelo quando um bando de adolescentes, do outro lado da rua, percebeu o que rolava e começou a filmar o desenrolar dos fatos com a câmera do celular. O vídeo foi parar na internet e, apesar de ser explícito demais para ser postado, é impagável ver a reação da mulher ao perceber que está sendo filmada – ela desmaia bonito.

Sexo na escola

Quando se está na escola, no auge da erupção hormonal, é de se esperar que alunos sejam pegos em cenas tórridas de amor e paixão em lugares não muito privados. O problema é sério quando isso acontece entre professores. Tudo bem, eles têm a sala dos professores, que é um local privado, mas, às vezes, acontece de haver uma câmera de segurança. Foi justamente assim que rodou, tanto no pessoal quanto no profissional, um diretor – casado – de um estabelecimento de ensino da Carolina do Norte. Além dele, rodaram também as professoras – isso, no plural mesmo – que ele pegou. O vídeo de segurança foi divulgado e todos os envolvidos foram pingar colírio de asfalto no olho da rua.

Sexo no trabalho – com um eletrodoméstico

Na calada da noite, na Inglaterra, um polonês, funcionário de um hospital infantil, decidiu que a noite era dele e de Henry. O tal Henry, no caso, era um aspirador de pó com um grande sorriso pintado nele. Irresistível, não? Um segurança que passava por lá viu a safadeza rolando solta e apartou o polonês e o eletrodoméstico. O polonês foi demitido, mas Henry, depois de uma limpeza detalhada, continua a serviço do hospital infantil.

Sexo em um guindaste!

O que faz um namorado olhar para um guindaste e dizer “uia, namorada: e se a gente transasse lá em cima?”. No caso de Justin Dunn e Nicole Albert, deve ter sido o fato de que o tal guindaste ser propriedade do papai Dunn, que fez o grande favor de não apresentar queixas à polícia da Flórida. Os dois só receberam um aviso para que fossem mais discretos da próxima vez.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Veja também

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...