Páginas

1 de jul de 2010

Crianças criadas por animais

Por cinco anos, Oxana Malaya viveu entre animais, comendo alimentos crus e restos encontrados nas vizinhanças dos vilarejos. Os pais, alcoólatras, abandonaram a menina aos três anos de idade e desde então ela foi adotada por uma matilha de cães. Isso aconteceu no vilarejo Navaya Blagoveschenka, na Ucrânia.



Cinco anos depois, em 1991, um cidadão informou às autoridades locais o avistamento de uma criança vivendo entre os cães. Ela foi resgatada: tinha oito anos na ocasião. Seu comportamento era totalmente canino: andava de quatro, latia, rosnava, bebia água diretamente das fontes e quando se molhava, sacudia o corpo inteiro tal como fazem os cachorros.



Recolhida a um orfanato, ali foi ensinada a andar em postura ereta, comer com as mãos e falar. Aliás, Oxana nunca desaprendeu completamente o pouco da linguagem humana que havia aprendido na primeira infância; entretanto, apesar do esforço dos professores, ela jamais recuperou a condição a humana e apresenta, recorrentemente, comportamento animal.



Em 2002, Lyn Fry, psicóloga britânica especialista em crianças autistas e casos de feral children, foi à Ucrânia ver Oxana que, atualmente, vive em uma instituição para doentes mentais. Fry encontrou uma jovem de vinte e três anos com mentalidade de seis e surpreendeu-se com o que viu: "Ela gosta de ser o centro das atenções, age como um humano mas freqüentemente o comportamento sofre reversão e ela age como um animal. Seu modo de falar é estranho, sem inflexões mas ela tem senso de humor. Quando dei a ela animais de brinquedo, ela me agradeceu. Em uma primeira impressão, você não pode imaginar que ela foi criada entre cães.



O pai de Oxana foi localizado; da mãe, não há notícias. Pai e filha reencontraram-se durante a filmagem de um documentário televisivo sobre o caso. A jovem tem esperança de voltar a viver com a família mas os especialistas não acreditam nesta possibilidade. Sua personalidade é frágil e sua adaptação à sociedade parece ser completamente impossível.




Feral child ou wild child (crianças selvagens) são definidas como pessoas que desde a mais tenra idade - na primeira infância que vai de 0 a 7 anos - viveram isoladas de contato humano e, assim, tornaram-se incapazes de socialização e aprendizado normal da linguagem. Cerca de uma centena de ocorrências foram registradas até hoje (2006).



Um dos casos mais conhecidos é o do garoto Victor de Aveyron, descoberto em 1797 e retratado no filmeThe wild child, de François Truffaut, 1969. Em 1828, o jovem Kaspar Hauser ocupou as manchetes dos jornais e sua história também chegou às telas do cinema: O enigma de Kaspar Hauser, de 1974. Mais recentemente, em 1970, a menina Gennie foi achada na Califórnia depois de passar 13 anos enclausurada em completa escuridão.


Cartaz do filme de François Truffaut

O Enigma de Kaspar Hauser, encontrado vagando em uma estrada de Nuremberg, desumanizado, aparentando 16 anos. O passado envolto em mistério, comentava-se na época que era o herdeiro da coroa de Napoleão Bonaparte, fato que, supostamente, teria motivado seu assassinato, em 1833.
Muito famoso também é o caso das meninas indianas Amala e Kamala, descobertas em 1920 pelo sacerdote J.Singh, vivendo entre lobos na floresta de Midnapore. Muito jovens, Kamala tinha cerca de oito anos e Amala não passava dos três. Completamente animalizadas, as crianças tinham desenvolvido a musculatura de modo que só podiam andar de quatro, eram notívagas e nutriam-se exclusivamente de leite e carne crua. Nunca desenvolveram linguagem. Amala morreu logo, menos de um ano depois do resgate. Kamala sobreviveu ainda por nove anos.
O jovem encontrado entre gazelas, na Síria e as famosas meninas indianas Amala e Kerala.
No deserto da Síria, um garoto com idade entre 10 e 15 anos foi encontrado em 1946. Adotado por gazelas era extremamente esbelto e forte, capaz de correr a uma velocidade de 50 km por hora. Muitos outros casos foram registrados de crianças que sofreram processo de desumanização ou animalização, não somente aquelas que cresceram entre lobos, ursos, macacos ou cachorros selvagens mas também, crianças que foram mantidas em isolamento completo durante muitos anos de tal maneira que não desenvolveram qualquer característica de socialização, sendo incapazes de falar e se movimentar de maneira normal.

A análise destes fenômenos demonstra, claramente, que a condição humana ou, de homo sapiens, não é decorrrente de uma mera programação biológica mas, antes, resulta de todo um processo de interação entre as pessoas e a cultura. Resta saber onde os primeiros humanos foram buscar os exemplos de sociabilidade que fizeram a espécie evoluir da animalidade para a civilização. Esse é um mistério que os antropólogos não conseguem entender e faz pensar sobre as mitologias que falam de instrutores "divinos" que teriam retirado os primeiros hominídeos do estágio de selvageria para conduzí-los ao estado de verdadeira humanidade.

19 comentários:

  1. gente... coitadas das crianças!! O_O
    eu achava que depois de um tempo com humanos, elas se desenvolviam normalmente, mas já vi que não!!

    ResponderExcluir
  2. Será que não era melhor deixar essas crianças como estavam, já que não se adaptariam novamente ao convívio humano?

    ResponderExcluir
  3. fake, os cachorros iam botar roupa e tudo..tá bom.

    ResponderExcluir
  4. Joao, atualmente Oxana, vive em uma instituição para doentes mentais. E você nunca viu cachorro de roupas? Ela praticamente foi "adestrada" durante os anos.

    ResponderExcluir
  5. ´´Muito bacana esse post ..Gostaría apenas de saber mais casos desse tipo ..com certeza é um bom tema ,para um estudo de caso..´´

    ResponderExcluir
  6. muito legal o post.. agora como que elas foram parar com esses animais...??? muita maldade dos pais...

    ResponderExcluir
  7. Hmm ou se pudesse ficar como um humano normal eu keria ser uma dessas pessoas imagina se vc um cara normal chega la um cara vai tentar te roubar se sai correndo a 50 km por hora! Mto lol issu seria.Mas como não da eu sinto pena.

    ResponderExcluir
  8. mas isso é muito bizarro!Pensa bem, corre a 50km por hora mais que o Usain Bolt. Muito estranho, mas fora isso sinto pena também.

    ResponderExcluir
  9. O primeiro tem belas chances de ser fake, quem criado com um cachorro usaria roupas?

    ResponderExcluir
  10. o primeiro parece ser fake mesmo..
    se ela anda de 4, como os joelhos nao estao feridos ou deformados? E porque nao colocam uma joelheira nem nada do genero?

    ResponderExcluir
  11. Joga Oxana Malaya e veja que não é fake.

    ResponderExcluir
  12. Quer aumentar a visitação e a popularidade de seu blog?

    Então Participe do agregador de links Link do Pinguim sugerindo links de conteúdos interessantes de seu

    blog.

    Ao enviar seus links para o Liink do Pinguim vocês estara recebendo novas visitas em seu blog e

    linkando-o em nosso site.

    http://linkdopinguim.com.br

    ResponderExcluir
  13. ué, mas não foi de uma hora pra outra q a gente criou essa sociedade. Foi tudo devagarzin

    ResponderExcluir
  14. O que eu acho pior é que os seres humanos tem essa visão maluca de que uma pessoa só será feliz se for socializada. Se você tem um ser humano que viveu toda a primeira infância com animais, levá-los ao convívio humano não será bom, e sim uma tortura.

    Quase todas essas crianças quando são "resgatadas" por seres humanos simplesmente morrem em pouquíssimo tempo, e as poucas que sobrevivem por mais tempo, acabam sendo internadas em hospícios.

    De que adianta tentar impor uma cultura a alguém que não tem capacidade de segui-la? Eu sou a favor de deixar a criança como está, já que a socialização entre humanos, ao menos na minha visão, é impossível.

    ResponderExcluir
  15. OOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOH OOOOOOOOOOOOOOOOOOH !!! (é o Tarzan!)

    ResponderExcluir
  16. hausuahsuhauhsuahs... Humor negro esse Tarzan! haushuahsuahsu

    ResponderExcluir

Veja também

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...